quinta-feira, dezembro 06, 2007

Conflito de interesses?!

Ontem no parlamento, durante uma interpelação promovida pelo PCP, o Ministro dos Assuntos Parlamentares, Augusto Santos Silva (ASS), criticou o facto de uma jornalista membro da direcção do Sindicato dos Jornalistas (SJ) escrever simultaneamente no Avante!, órgão central do PCP, acrescentando haver um "conflito de interesses" e não ter "nenuma lição" a receber sobre liberdade de imprensa do PCP. (ver)
O líder da bancada parlamentar do PCP, Bernardino Soares, esclareceu que a jornalista foi eleita pelos seus pares para o SJ: "Porventura, o Governo gostaria que aqueles que estivessem no index dos comunistas não pudessem ser eleitos para certos cargos (...) Mas esse facto que tanto incomoda o sr. ministro não incomoda nada os jornalistas que elegeram a direcção deste Sindicato", frisou.
Estes pequenos episódios da vida parlamentar são extremamente esclarecedores da política, ideologia, postura e atitude dos nossos políticos. Estas afirmações de Santos Silva vêm no seguimento de toda uma manobra concertada contra os sindicatos em si, que quando desce ao nível mais primordial recai num anti-comunismo primário. Não há qualquer conflito de interesse entre ser membro de um partido e representante num sindicato, nem tal problema parece levantar-se para ASS quando não se trata de um comunista. O Manuel Carvalho da Silva não pode ir à televisão sem ter que responder à pergunta da praxe sobre a influência do PCP na CGTP. Mas tentem lembrar-se de quando semelhante pergunta foi feita a Torres Couto ou João Proença. Será porque não há qualquer influência do bloco central na UGT? Francamente.
Um comunista, pela sua natureza, sua actividade, sua coragem e determinação, pela força dos seus princípios, rapidamente ganha o respeito dos seus colegas, e torna-se um candidato natural a representante sindical. O lugar na direcção não é o objectivo. É o resultado da sua actividade. E torna possível outro nível de entrega à luta, de contacto com mais colegas. O objectivo é a organização dos trabalhadores, a elevação da sua consciência de classe, sua mobilização para a luta de classes. Ser jornalista no Avante! e dirigente sindical no Sindicato de Jornalistas é uma confluência de interesses. E graças aos interesses dos jornalistas no Avante e à natureza de classe da sua linha editorial, podemos nesse jornal ler importantes notícias sobre as lutas dos trabalhadores portugueses que não surgem em mais nenhum jornal, rádio, ou televisão.
Talvez ASS se devesse antes preocupar com as limitações ao acesso a informação resultantes da concentração de capital na comunicação social, com a perda de conteudo dos principais meios de informação. Ou o facto de, por exemplo, o Pinto Balsemão, homem com clara conotação político-partidária, controlar a SIC, Expresso, e parte da Lusa não lhe parece um conflito de interesses.

3 comentários:

almada disse...

Óptimo post, com a devida vénia vou copiar parte dele para o meu blog.
desde já o meu agradecimento.

Pipi das meias altas disse...

E a Maria de Belém?Tacho no grupo de saúde do BES e qq coisa de saúde na assembleia

samuel disse...

Pelo menos numa coisa o "comunista" é parecido com o elefante: incomoda muita gente. :):):)
Abraço.