quinta-feira, março 29, 2007

Basta de Nacionalismos

A lista nacionalista perdeu as eleições para a Associação de Estudantes da Faculdade de Letras de Lisboa. Recebeu 81 votos contra os 818 votos recebidos pela lista unitária vencedora. São 81 votos a mais (~10%). Para a derrota terá contribuído o desmascarar da verdadeira natureza da lista X. Um seu porta voz veio falar de tentativas de censura da ideologia nacionalista, sem chamar as coisas pelos seus nomes menos apreciados. O PNR e o seu círculo são fascistas. Sim são nacionalistas, mas também racistas e xenófobos, que comemoraram no centro de Lisboa o aniversário de Rudolf Hess. Veja-se o outdoor colocado hoje no Marquês de Pombal em Lisboa. Antes de mais: um outdoor(!). Como já aqui tenho alertado, isto já não é um movimentozito de skins, mas um partido organizado, com uma áura de respeitabilidade e de participante na democracia, que participa nas eleições, tem tempos de antena, e fundos suficientes para um outdoor no centro de Lisboa. Reconforta-me que às 10:30 da manhã já o cartaz havia sido manchado (tivesse eu acordado mais cedo ...). Em particular onde desejava "boa viagem" aos imigrantes. Não aos imigrantes indigentes e survadores do impostos portuguêses, não à actual política de imigração, como o Presidente do PNR, José Pinto Coelho, quiz fazer crer na Antena Um, mas todos os imigrantes a qualquer imigração.

8 comentários:

PR disse...

O beato do salazar fascista??? Lololol!!!!
Achei piada.

Wellington Almeida disse...

Olá cheguei aqui atraves do Publico que tem prestado um bom serviço na questão de dar a conhecer alguns dos blogues tugas mais interessantes. Gostei muito e parabéns!

Qto ao infeliz cartaz, só mesmo lamentar, é preciso outra revolução que deite mais cheio do que cravos... abraço.

paulo disse...

Quando é que estes animais (que são sobretudo anti portugal)são banidos para sempre.Dá -me uma gana e de fazer buracos nos seus cerebros de putas castradas.
Viva a liberdade viva o 25 Abril.
Um abraço com amizade
paulo

Anônimo disse...

Comemoraram no centro de Lisboa o aniversário de Herman Hess?! Quem diria...estes fascistas são afinal adeptos da literatura. Será que gostam mais d´O Lobo da Estepe ou da Sidarta?

André Levy disse...

Mea culpa Anonymous. Obrigado pela sua crítica tão construtiva. Queria referir-me a Rudolf Hess.

João Aguiar disse...

É evidente que existe hoje uma campanha de revisionismo histórico sobre a real natureza do fascismo e que é paralela com uma outra campanha de progressiva mediatização da extrema-direita organizada.
Ao mesmo tempo, o facto de os fascistas estarem a concorrer para eleições das AE's é preocupante. E digo preocupante porque, curiosamente, eles começam a surgir em faculdades com tradição de esquerda: Letras de Lisboa e Letras do Porto onde a AE controlada pela JSD tem um elemento do PNR com um cargo de destaque na direcção da associação. Portanto, assistimos a uma onda revanchista da extrema-direita em Portugal e que temos de lutar o mais eficazmente possível contra ela.

Anônimo disse...

Mas os Movimentos Nacionalistas desde que sejam africanos ou anti-americanos já são bons, já não são "fascistas", não é verdade? Ou basta mesmo de nacionalismos?

André Levy disse...

Caro Anónomio 4:26
Por «movimentos nacionalistas africanos» referes-te porventura aos movimentos de libertação nacional, como o MPLA (Angola), o PAIGC (Guiné e Cabo Verde), a FLN (Argélia) e FRELIMO (Moçambique)? É que estes não eram nacionalistas no moderno uso desta palavra. Eram movimentos patrióticos que lutavam contra o colonialismo, que valorizavam a história dos seus países, não como argumento contra outros povos mas como auto-afirmação e suporte à sua reividicação direito à auto-determinação e soberania - direito aliás reconhecido pelas Nações Unidas. Estes movimentos pouco (ou nada) têm de comum com a tradição nacionalista que está presente, por exemplo, no Partido Nacional-Socialista (Nazi), e da qual se reclamam herdeiros partidos como o PNR português. Um nacionalismo baseado na afirmação dos valores nacionais e simultaneamente na inferiorização de outras nações e povos, em que há quem tenha mais direitos que outros (por exemplo, os nascidos em portugal vs os emigrantes).
Já o que queres dizer por «nacionalismo anti-americano» é um mistério.