sábado, setembro 15, 2007

A revolução está agendada

Já ouvi amigos e camaradas, activistas na luta, falarem desanimadamente das perspectivas de mudanças profundas na sociedade portuguêsa. Entendem a importância de resistir as ofensivas neo-liberais, e entregam-se a essa batalha com todo o coração, mas sem esperança de essas lutas conduzirem a uma transformação estrutural, de ultrapassarmos a fase de resistência para a fase de construção de algo novo, do combate ao capitalismo à construção do socialismo. Sentem que hoje as forças do capitalismo e do imperialismo são demasiado fortes para serem derrotadas. Que vale a pena resistir, que é necessário fazê-lo, mas que a «vitória final» está para lá do horizonte. A existência da URSS socialista tornava esse objectivo mais tangível. Agora parece demasiado distante.

Mas não esse sentimento não terá sempre pesado sobre as aspirações dos resistentes? Sobre os que lutavam contra o aparteid? Contra o colonialismo? Contra o fascismo? Contra o Salazar e Marcelo Caetano? Contra a ocupação indonésia em Timor, ou o colete de forças estadunidense em Cuba, ou as sucessivas juntas militares e presidências de direita na Venezuela? Ou contra o muro de berlim? A história do século XX é rica de transformações repentinas, que anos ou mesmo meses antes pareciam longíquas ou impossíveis. É certo que nem sempre estas penderam para o lado do progresso social, mas sobresaí que a história é fluida e dinâmica. Um olhar para o passado demonstra que há motivo para ter esperança no sucesso transformador da luta quotidiana, e que pode ter consequências mais cedo do que a nossa imaginação premite antever.

Não procuro com isto simplesmente convencer a resistir. Isso já estes companheiros fazem. Entendem que a luta não garante a vitória, mas que sem ela a derrota está assegurada. Mas é necessário mais. É necessário resistir inclinado para a frente, embuir a resistência de propulsão, embeber a luta de esperança, mais, de convicção não só na vitória da luta pontual, mas da vitória final. Não porque esta seja certa, mas - como indicava a Rosa Luxemburgo - porque é necessária
pois a alternativa é a barbárie. Há que lutar por uma sociedade diferente como algo ao nosso alcance. A história demontra que é possível. A perspectiva imediata pode ser sombria, mas quem sabe quando virá o momento revolucionário? Pode ser só para os nossos bisnetos, ou pode ser no ano que vem.

No comício de encerramento da Festa do Avante!, Jerónimo de Sousa disse:
Por todo mundo prossegue a resistência e a luta libertadora e o retomar do curso ascendente do processo universal de emancipação social e nacional. E nesta caminhada – que implicará avanços e recuos, vitórias e derrotas, momentos de exaltante avanço revolucionário e situações de sombria reacção – é necessário ter sempre presente a perspectiva do socialismo, não como objectivo longínquo mas como uma possibilidade e uma exigência do nosso tempo.

5 comentários:

Olaio disse...

Ora aqui está uma coisa que gostaria de ter escrito!

Samir Machel disse...

É preciso ter esperança (e agir) para um futuro melhor. Entretanto talvez queiras corrigir o "facismo" na segunda linha do segundo parágrafo.

Depois podes apagar o comentário.

Abraço,

Anônimo disse...

Assi,como a URSS se esboroou,também o mundo do capital se pode desfazer! Estou convencido que com o Pico Petrolífero já ultrapassado em Julho de 2006,as 'coisas' se irão aprofundar.Entretanto,haverá mais futebóis semanais e telenovelas até partir e tb muitas insolvências,taxas de juro e menos passeiops aos centros comerciais de carro para verem as montras.Vim à 1 semana da Bulgária e,apesar de não ter lá estado no tempo de Todor Juvkov tenho a certeza que viviam muitissimo melhor do que hoje.
A democracia só é boa para o Capital qd são os seus fantoches de serviço(PSD,PS,CDS e,outros) a ganhar,qd o povoléu abre os olhos já é uma ditadura totalitária!!Vide a Venezuela.Temos é que dizer que vivemos imersos em propaganda e lutar como fazem o resistir.info e odiario.info do qual agradeço o trabalho de um punhado de pessoas em prole de tão nobre objectivo.

Anônimo disse...

http://www.altereconomia.org/web/
eis aqui um site para espevitar a malta

Nelson Fraga disse...

"A revolução está agendada"... o teu partido já marcou a hora dessa tal de revolução?? se sim, avisa-me!! :p